ESPECIAL COVID-19

RECOMENDAÇÕES DE MEDIDAS PREVENTIVAS CONTRA CONTÁGIO PELO VIRUS SARS-CoV-2 NO ÂMBITO DAS PRÁCTICAS MÚSICAIS

Baseadas nas recomendações elaboradas pelo Instituto de Música e Medicina da Escola Superior de Música de Friburgo e o Hospital Universitário de Friburgo, na Alemanha

No contexto Português do plano de contingência da propagação do vírus SARS-CoV-2, os músicos contam com as medidas de prevenção da transmissão da COVID-19 publicadas pela Direção Geral de Saúde (DGS) na Orientação nº 028/2020 de 28/05/2020.

No contexto Português do plano de contingência da propagação do vírus SARS-CoV-2, os músicos contam com as medidas de prevenção da transmissão da COVID-19 publicadas pela Direção Geral de Saúde (DGS) na Orientação nº 028/2020 de 28/05/2020.

Os professores de música podem também encontrar informação sobre que medidas adotar no ensino da música, nas orientações que constam no Guia de Recomendações por Tema e Setor de Atividade que a DGS tornou público a 9 de Junho de 2020.

Segundo a DGS, a informação destas orientações e guias não substitui a consulta das orientações específicas para cada estabelecimento, instituição ou serviço, sempre que existam, nem da legislação em vigor.

Várias são as instituições, estabelecimentos e serviços que se encontram a elaborar as suas orientações específicas de redução do risco de contaminação da COVID19. A fim de facilitar a criação destas linhas orientadoras, a APVoz divulga as linhas orientadoras específicas à prática musical, em contextos de sala de aula e de prática conjunta, instrumental e/ou vocal, criadas pelo Instituto de Música e Medicina da Escola Superior de Música de Friburgo e o Hospital Universitário de Friburgo, na Alemanha. 

Estas recomendações foram adotadas pela APVoz considerando o seu rigor e aplicação generalizada à prática musical ocidental. 

Os pontos mais importantes destas linhas orientadoras são aqui resumidos:

  1. Recomendações gerais (aulas individuais, ensaios e concertos)
  2. Recomendações adicionais específicas às aulas de canto/ instrumento
  3. Recomendações adicionais específicas à prática coral
  4. Recomendações adicionais específicas à prática instrumental de conjunto (orquestra e ensembles musicais)

Alertamos para o facto de serem ainda desconhecidos: (a) a carga viral contida no ar  condensado expelido durante a prática de instrumentistas de sopro no interior do instrumento; (b) o impacto de inalações profundas necessárias ao canto e à prática de instrumentos de sopro no risco de contaminação do cantor/ instrumentista de sopro.

1.   Recomendações gerais (aulas individuais/ ensaios/ concertos)

Estas recomendações centram-se em três pilares: a triagem anterior à prática musical; a escolha dos locais e medidas de gestão dos espaços usados para prática musical; e medidas de proteção individual dos músicos.

Triagem

  1. Avaliação de comportamentos de risco, sintomatologia, possível inclusão em grupos de risco (ex. trabalhar em diferentes instituições, estabelecimentos ou serviços)
  2. Medição da temperatura
  3. Sempre que possível, preferir pela realização de testes ao SARS-CoV-2 a todos os músicos de orquestra/ coro

Escolha dos locais e medidas de gestão dos espaços

  1. Optar preferencialmente por espaços ao ar livre para a realização das atividades previstas
  2. Quando o espaço aberto não é uma possibilidade, optar por espaços amplos como igrejas e auditórios
  3. Se a aula/ ensaio/ concerto tiver de decorrer num espaço fechado:
    1. deve proceder-se à limpeza dos sapatos ou colocação de proteções descartáveis apropriadas antes da entrada no local
    1. o espaço deve possuir ventilação por sistemas AVAC, ou ser arejado a cada 15 minutos
    1. o local deve possuir dimensões que permitam um distanciamento radial de 1,5 a 2 metros entre músicos (dependendo do tipo de instrumento, ver em baixo) 
    1. proceder à limpeza do espaço e de todas as suas superfícies (incluindo cadeiras, estantes, proteções, etc.) antes e depois da sua utilização, seguindo as normas de higienização e desinfeção recomendadas pela DGS (Orientação 014/2020 de 21/03/2020)
  4. Ter sempre disponível gel desinfetante (solução alcoólica > 70%)

Medidas de proteção individual

  1. Proceder à limpeza minuciosa das mãos, com água e sabão ou com gel desinfetante à base de álcool, seguindo a Orientação 019/2020 de 03/04/2020 da DGS referente a utilização de equipamentos de proteção individual por pessoas não-profissionais de saúde
  2. Manter uma distancia radial de 2 metros (no caso de cantores e instrumentistas de sopro) ou de 1,5 metros (no caso de pianistas, instrumentistas de cordas e de percussão) relativa a outros músicos 
  3. Uso permanente de máscaras, não obstante a distância radial de 1,5 ou de 2 metros (consoante o tipo de instrumento) relativa a outros músicos
  4. Não partilhar objetos (incluindo partituras e estantes)

2.   Recomendações adicionais específicas às aulas de canto/ instrumento

  1. Sempre que possível, recorrer ao ensino à distância 
  2. No caso de aulas presenciais:
    • Planificar das aulas de forma a permitir um intervalo de 15 minutos entre aulas
    • Aproveitar o intervalo entre aulas para proceder ao arejamento e higienização da sala 
    • Professor (e pianista acompanhador, quando presente), deve(m) proceder à higienização das mãos antes do inicio de uma nova aula
    • Manter distanciamento radial entre aluno, professor (e pianista acompanhador, quando presente) de:
      • 2 metros no caso de cantores e instrumentistas de sopro
      • 1,5 metros no caso dos restantes instrumentistas
    • Recorrer ao uso permanente de máscara (exceto instrumentistas de sopro enquanto tocam), mesmo durante as pausas (entre aulas ou ensaios)
    • pianista acompanhador deve proceder à limpeza do piano com um pano humedecido em álcool (> 70%) antes e depois de o usar, já que o instrumento poderá ser partilhado por outro pianista acompanhador
    • Os instrumentistas de sopro de madeira devem
      • não soprar nos instrumentos como forma de os limpar 
      • não limpar o instrumento no mesmo local onde decorre a aula/ ensaio. A limpeza do instrumento deve ser realizada em local próprio e em isolamento social. Após a limpeza do instrumento, o instrumentista deverá proceder à higienização e desinfeção das mãos de acordo com as normas em vigor da DGS.
    • Os instrumentistas de sopro de metal devem
      • cobrir a campana do instrumento com um lenço de seda
      • usar papel absorvente ou um recipiente para recolher a água que goteia do instrumento durante a sua prática, evitando que as gotas de condensação caiam no chão
      • não limpar o instrumento no mesmo local onde decorre a aula/ ensaio. A limpeza do instrumento com a chave de escape de água deve ser realizada num local apropriado e em isolamento social. Após a limpeza do instrumento, o instrumentista deverá proceder à higienização e desinfeção das mãos de acordo com as normas em vigor da DGS.

3.   Recomendações adicionais específicas à prática coral

  1. Seguir as mesmas recomendações que as aconselhadas para aulas de canto/ instrumento (as que se aplicam)
  2. Planificar o ensaio, dividindo-o em secções de 15 minutos
  3. Planificar o ensaio, dividindo-o em secções de 15 minutos
  4. Evitar aglomerações de pessoas durante os intervalos
  5. Uso permanente de máscaras, mesmo durante os intervalos 
  6. O local de ensaio deverá ser suficientemente amplo para garantir o distanciamento radial de 2 metros entre coralistas
  7. Entre secções proceder a um intervalo para arejamento/ ventilação do local de ensaio 
  8. Optar por fazer ensaios mais curtos

4.   Recomendações adicionais específicas à prática instrumental de conjunto (orquestra e ensembles musicais)

  1. Seguir as mesmas recomendações que as aconselhadas para aulas de canto/ instrumento e para a prática coral (as que se aplicam)
  2. As orquestras não devem tocar no fosso, exceto quando o fosso for ventilado por sistema AVAC e a orquestra tiver formação reduzida que garanta a distância radial de 2 metros entre instrumentistas

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.